EUA bloqueiam US$ 65 milhões de ajuda a palestinos

  • 21/01/2018
  • 0 Comentário(s)

EUA bloqueiam US$ 65 milhões de ajuda a palestinos

Na última terça-feira (16), a administração do presidente Donald Trump cortou dezenas de milhões de dólares da verba antes destinada a ajudar refugiados palestinos, exigindo que a agência da ONU responsável por estes programas faça uma "reavaliação fundamental", segundo informou o Departamento de Estado dos EUA.

Em uma carta, o Departamento de Estado notificou a Agência de Socorro e Obras da ONU (UNRWA) que os EUA estão retendo cerca de US$ 65 milhões de uma parcela de financiamento de US$ 125 milhões. A carta também deixa claro que outras doações dos EUA dependerão de grandes mudanças por parte UNRWA, que foi criticada por Israel.

"Nós gostaríamos de ver algumas mudanças sendo feitas", disse a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, acrescentando que são necessárias mudanças na forma como a agência opera e é financiada. "Isso não tem como objetivo punir ninguém".

O Departamento de Estado disse que estava liberando o restante da parcela - US $ 60 milhões - para evitar que a agência fique sem dinheiro até o final do mês e acabe fechando.

Os EUA são o maior doador da UNWRA, fornecendo cerca de 30% do orçamento do órgão internacional. A agência centra-se na prestação de cuidados de saúde, educação e serviços sociais aos palestinos na Cisjordânia, Faixa de Gaza, Jordânia, Síria e Líbano.

Centenas de milhares de palestinos fugiram ou foram forçados a sair de suas casas durante a guerra que levou ao estabelecimento de Israel em 1948. Atualmente, estima-se que 5 milhões de refugiados e seus descendentes, estejam espalhados por toda a região.

A Organização de Libertação da Palestina reagiu com raiva à decisão dos EUA, dizendo que isto está minando "o segmento mais vulnerável do povo palestino e privando os refugiados do direito à educação, saúde, abrigo e uma vida digna".

"Isto também está criando condições que irão gerar uma maior instabilidade em toda a região e demonstrará que não tem remorso em atacar os inocentes", afirmou a liderança da OLP em um comunicado.

O secretário-geral da U.N., Antonio Guterres, disse que não estava ciente da decisão, mas advertiu que a UNRWA fornece "serviços vitais".

"Estou muito preocupado e espero fortemente que, no final, se mantenha o financiamento da UNRWA, em que os Estados Unidos têm uma parcela muito importante", disse ele a repórteres na ONU.

O embaixador de Israel na U.N., Danny Danon, elogiou a decisão dos EUA, argumentando que a UNRWA usa a ajuda humanitária para apoiar a propaganda contra o estado judeu e perpetuar a situação dos palestinos.

"É hora desse absurdo terminar e é necessário que os fundos humanitários sejam direcionados para o seu propósito real: o bem-estar dos refugiados", afirmou Danon em um comunicado.

Os EUA doaram US$ 355 milhões para a UNWRA em 2016 e deveriam fazer uma contribuição similar neste ano; a primeira parcela deveria ter sido enviada este mês. Mas depois de um tweet altamente crítico em 2 de janeiro de Trump sobre o auxílio aos palestinos, o Departamento de Estado optou por aguardar uma decisão de política formal antes de enviar sua primeira parcela.

O tweet de Trump expressou frustração pela falta de progresso em suas tentativas de negociar a paz entre Israel e Palestina, e questionou se as doações aos palestinos realmente deveriam continuar.

Nós pagamos aos palestinos centenas de milhões de dólares por ano e não conseguimos nenhuma apreciação ou respeito", disse ele. "Mas, com os palestinos não querendo mais falar em paz, por que devemos com esses pagamentos maciços no futuro?".

Os israelenses acusam a agência da ONU de contribuir para a militância palestina e permitir que suas instalações sejam usadas por militantes. Eles também reclamam que alguns funcionários do UNRWA estão tendenciosos contra Israel.

Nauert disse que os Estados Unidos acreditam que precisa haver mais "compartilhamento de fardo", uma queixa regular de Trump sobre organizações multilaterais dependentes de contribuições significativas do dinheiro dos EUA.

"Nós não acreditamos que cuidar de outras nações e outras pessoas têm que ser apenas a responsabilidade dos Estados Unidos", disse ela.

0 Comentários


Deixe seu comentário


Aplicativos


 Locutor no Ar

AutoDJ

Piloto Automático

Peça Sua Música

Name:
E-mail:
Seu Pedido:


Top 5

top1
1. Anderson Freire

Raridade

top2
2. Bruna Karla

Advogado Fiel

top3
3. Aline Barros

Casa do pai

top4
4. Anderson Freire

Acalma o meu coração

top5
5. Aline Barros

Ressuscita-me

Anunciantes